BEM VINDO AO BLOG!

“A guerra não é um instinto, mas uma invenção.” Ortega y Gasset

segunda-feira, 28 de maio de 2012

Espaço do acadêmico - Bruna Santos


 A justiça dos ricos x Justiça dos pobres




A precariedade da justiça brasileira tem causado muito inconformismo entre as pessoas, na medida que a cada dia aumenta- se o número de pobres presos e de ricos soltos. É lamentável saber que todos os dias somos furtados pela classe dominante, que o dinheiro público vai tomando destinos longe dos nossos  e infelizmente nada podemos fazer. 

O Brasil, conhecido pelo mundo como o País do futebol, do carnaval e das belezas naturais, é também conhecido como o país da IMPUNIDADE, que  já trouxe inúmeros fugitivos (traficantes internacionais, chefes da máfia italiana e ditadores) para uma tranquila hospedagem. O sistema brasileiro está completamente falido e inundado de corrupção; viva o povo brasileiro por conseguir sobreviver em um Pais de tanta fartura e faturas compradas e pagas com o suor de todos. Sorte daquele que consegue pagar um bom advogado, mas bom mesmo é aquele que consegue comprar um ótimo juiz.

O jogador Edmundo, depois de dizimar uma família inteira utilizando seu carro como um tanque de guerra, teve seu Habeas Corpus concedido, antes mesmo de chegar à delegacia, vindo de São Paulo, onde foi encontrado por policiais que autorizaram que ele tomasse banho e se arrumasse para viajar, enquanto seus advogados já conduziam o procedimento liberatório.  A lei de ficha limpa, rejeitada pelo Supremo Tribunal Federal não será aplicada retroativamente, mesmo não se tratando de matéria de cunho penal e sim administrativo. 

A Operação Satiagraha, foi inteiramente anulada, recolocando Daniel Dantas na condição de réu primário e de bons antecedentes, sendo que no caminho das investigações, 2 (dois) Habeas Corpus foram concedidos, em caráter de urgência e tempo recorde, pelo presidente do Supremo Tribunal Federal Gilmar Mendes, depois de deferida as prisões por um Juiz Federal, a pedido de um Delegado Federal.  

Esses são apenas três exemplos  dentre muitos outros existentes no Brasil  da" teoria ricos e poderosos  sempre soltos". Enquanto isso, muitos pobres estão na longa espera  por justiça, alguns desamparados, largados a própria sorte, dependendo do incansável e interminável trabalho dos Defensores Públicos, outros, apoiados na religião e em sua fé, a grande maioria suportados por suas famílias, pobres e necessitadas, e outros poucos por questão do destino, laços de família e contatos seus ou de seus familiares, chegam aos bons escritórios de advocacia, onde são respeitados como todo ser humano deveria ser tratados e têm seus processos cuidados e olhados como se “ricos fossem”. 

Todos esses acontecimentos mostram que a justiça está (e sempre esteve) ao lado dos ricos e poderosos. Para os pobres, a punição é implacável. Enquanto várias pessoas pobres, e na sua maioria negras, apodrecem na cadeia por terem praticado pequenos furtos, realizados muitas vezes para matar a fome, a “justiça” dos ricos dá uma mãozinha para livrar a cara de políticos corruptos, fazendeiros e endinheirados. É como já dizia Ruy Barbosa "De tanto ver triunfar as nulidades, de tanto ver prosperar a desonra, de tanto ver crescer a injustiça, de tanto ver agigantarem-se os poderes nas mãos dos maus, o homem chega a desanimar da virtude, a rir-se da honra, a ter vergonha de ser honesto".

Nenhum comentário:

Postar um comentário